Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

(Sinónimo de) Carmezim

(Sinónimo de) Carmezim

17
Ago17

Guardado na estante #9 | Dou-te o Sol

Epá, por onde começar? Cheira-me, não sei porquê, que este post de Guardado na Estante vai ser como o anterior, sobre Ernest Hemingway: confuso e ali entre o amor e o ódio. Até ao lançamento de Dou-te o Sol nunca tinha ouvido falar de Jandy Nelson e mesmo depois de ter lido este livro não fui procurar saber mais sobre ela. Se calhar devia, mais que não fosse para perceber melhor a senhora e o seu objetivo com as suas histórias. 

 

Ouvi falar sobre o livro pela altura do seu lançamento e obviamente que achei que tinha uma capa muito bem escolhida, em plena hamonia com o próprio título do livro - igualmente bonito. Chamou-me a atenção na altura, mas não o suficiente para ir a correr comprar, por isso passou. Meses depois, uma amiga da faculdade começou a lê-lo e fez-me relembrar o quão fofinho deveria ser a história. Depois de ter lido Fala-me de um Dia Perfeito e ter ficado absolutamente apaixonada achei que este tinha que ser a próxima história cor-de-rosa que eu iria ler. Assim foi: depois de um livro mais sério e pesado como foi "O Adeus às Armas", atirei-me com muita vontade a "Dou-te o Sol" de Jandy Nelson.

 

16
Ago17

Favoritos de Julho em modo surpresa!

Algum dia tinha que ganhar coragem, não é? Algum tinha que parar de pensar se, por acaso, as pessoas que me conhecem "na vida real" vão ficar com vergonha alheia se me virem fazer isto. Se eu gosto, se é uma coisa que me diverte, se me empenhei e trabalhei para ter este resultado final que me deixou muito orgulhosa, se não estou a fazer mal a ninguém... isso deveriam ser razões suficientes para perder a vergonha, certo?

 

No final do mês de Maio fiz um post de favoritos e foi dos que mais gostei de escrever desde que decidi ir com o blog para a frente. Não só me diverti como também tive imenso feedback da vossa parte. Mais uma vez deixei acumular alguns artigos e por isso achei que, mesmo já não estando em julho há algum tempo, ainda seria pertinente pegar em todas essas coisas e MOSTRAR-VOS todas elas. 

 

 

 

11
Ago17

Porque o vício do YouTube não chega

Já em várias ocasiões, pelas mais variadas razões falei aqui do que foi para mim descobrir o lado lindo do YouTube. Digo lado lindo porque às vezes, se não tivermos cuidado, podem começar a aparecer-nos os vídeos mais estranhos do mundo nos "sugeridos". O YouTube é um manhoso, porque nos vai levando para esse "dark side" bem devagarinho, sem darmos por isso. Depois, PUMBA! Já estamos atolhados ou em vídeos não aconselháveis a estômagos fracos, ou a vídeos extremamente parvos ou a vídeos extremamente tristes. 

 

No entanto, tive sorte de descobrir um lado muito lindo do YouTube, com o qual me apaixonei. O meu tipo de vídeos preferidos para ver antes de ir dormir - sim, eu sei que não se deve - são vlogs. Também gosto muito de ver sit down videos sobretudo feitos por mulheres, quando é para falarem de temas com os quais me identifico ou sobre os quais sou apenas curiosa. Acho incrível a hipótese de, a partir das nossas casas, podermos conversar, ajudar ou simplesmente entreter pessoas de todos os lados do mundo, desde que nos entendam. O YouTube é, sem dúvida, um dos maiores responsáveis pelos dias em que me vou deitar mais tarde. Acabou por se tornar um hobby, parte da rotina e mal posso esperar por conseguir fazer o mesmo. O que eu não estava à espera é que, do nada, ficasse fascinada com outro lado da internet: os podcasts. 

 

09
Ago17

Sem Spoilers #12 | The Handmaid's Tale

Meus caros leitores, vamos todos dar as mãos e fazer um exercício. Escrevo-vos este post pouco depois das nove da manhã e a vontade de ter ficado na cama mais um pouco é muita, por isso vamos todos fazer este exercício de forma a começarmos o dia de forma mais calma e agradável - notem que vos escrevi estas palavras com o tom mais relaxante do mundo, estilo voz do "Oceano Pacífico".

 

Vamos todos dar as mãos e sorrir levemente. Nem é preciso mostrar os dentes se não gostarem de o fazer: apenas um ligeiro sorriso, enquando damos as mãos e respiramos fundo. Fechem os olhos se quiserem - ou não, porque era capaz de ficar difícil de ler o resto do post e eu quero muito a vossa companhia. Concentrem-se nos sons que ouvem: se calhar um cão a ladrar lá fora, se calhar a Cristina Ferreira na televisão, se calhar só os carros a passar... mas lá bem ao fundo, sabem que som vão conseguir ouvir se se concentrarem? O som de palmas. Uma verdadeira ovação. É o som de The Handmaid's Tale.

08
Ago17

Museu do macabro

Acho que num dos primeiros posts que escrevi aqui no blog contei-vos uma história que se continua a repetir sempre que o tema vem à baila: a minha área, a da cultura. Quando alguém diz aos meus pais que tem os filhos em medicina, em veterinária ou em mecânica, a conversa fica por aí porque toda a gente tem mais ou menos a noção - ou acham que têm - do que se faz depois de terminar um curso nessas áreas. Quando depois perguntam pelo que ando eu a fazer da vida e eu responde, já meia a medo, que terminei o curso de Ciências da Cultura, é como se aparecesse um ponto de interrogação gigante na cara das pessoas.

 

Seguem-se as perguntas da praxe: em que faculdade é que se dá isso, o que é isso, para que serve e para onde vou eu arranjar emprego. Até à bem pouco tempo o meu próprio irmão ainda achava que eu tinha ido para História de Arte. É confuso, eu sei. Eu lá tento responder às perguntas da maneira mais direta possível, sem dar grandes pormenores: "é para ir para os museus!" Assim toda a gente fica com uma vaga ideia, se bem que nunca se sabe bem o que se faz nesses sítios quando não há um grupo de turistas ou de crianças por perto. Quando digo que quero ir "trabalhar para museus", a reação é sempre a mesma. Abrem muito os olhos como quem teve uma epifania, acenam com a cabeça porque já sabem perfeitamente do que eu estou a falar e dizem "ahhh, isso é bom, ficas lá sossegadinha, sem stresses, sem nada!" É mais ou menos isso, amigos.

07
Ago17

O dia em que abanei o shaker

Lembram-se de no fim de semana passado vocês nem terem dormido bem pela ausência que houve aqui no blog?? Eu sei, desde já as minhas mais sinceras desculpas porque eu também tive imensas saudades vossas e deste meu cantinho, mas acreditei que, tecnicamente, a trabalhar em mais um post para o blog. 

 

Não, não estive em clausura a ver um série para vos falar aqui, nem a tentar terminar um livro novo para vos aconselhar. Estava, na realidade, a ajudar numa festa da terra. Não da minha, mas da do meu Rapaz e por muito que isso me deixe até um pouco envergonhada, foi a primeira vez que fiz algo do género. Aqui, falo sobretudo de estar a trabalhar num bar, mas não num bar qualquer: um bar estilo "tenda jovem", como se chama por estes lados nestas festas, a bombá-las até de manhã e onde se vende - e consequentemente, se faz - muito mais do que simples imperiais. 

 

 

 

A Marta

Sinonimo de Carmezim

@mcarmeziim

Parcerias



Na mesa de cabeceira

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.