Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

(Sinónimo de) Carmezim

(Sinónimo de) Carmezim

23
Mai17

Sem Spoilers #8 | Get Out

É verdade, parece que finalmente voltaram os posts do Sem Spoilers que me dão sempre tanto gozo a escrever. Depois de tanto tempo sem ter tido tempo para me atualizar no mundo das séries e do cinema, esta semana estou a tentar preparar várias sugestões para vocês. A primeira sugestão que vos trago é o filme Get Out, que tanto alarido tem causado nos Estados Unidos. 

 

Get Out - ou Corre!, em português - é o novo filme do comediante Jordan Peele que estreou no dia 24 de janeiro deste ano no Sundance Film Festival e segundo a minha pesquisa tem ganho vários prémios nos festivais por onde tem passado. Quando comecei a ouvir falar mais e mais deste filme soube que tinha de o ver o mais depressa possível. 

 

 

O filme tem como trama principal um casal interracial interpretado por Allison Williams e o novato Daniel Kaluuya - por quem me apaixonei pelo seu trabalho enquanto ator na série Black Mirror. Este filme começa de forma muito morna, banal até. O namorado preto vai a casa dos pais da namorada branca para os conhecer pela primeira vez. Parecem muito apaixonados, capazes de ultrapassar qualquer obstáculo - incluindo lutar pelo seu amor se os pais dela fossem contra a relação. 

 

Este é o primeiro momento em que o realizador nos deixa em bicos de pés, ali suspensos para saber o que vai acontecer a seguir, porque o espectador é automaticamente levado a pensar que os pais da rapariga não vão conseguir saber lidar com o facto de que a filha namora com um rapaz preto. A coisa corre bem ao início. À medida que o filme vai avançando começamos a perceber que as coisas estão a correr demasiado bem. 

 

As cenas começam a ficar muito estranhas, os diálogos e a banda sonora que acompanha acabam por tornar Get Out um filme verdadeiramente angustiante. Ficamos ali, de olhos meio fechados com medo de apanhar um susto do caraças, e sem perceber muito bem o que está a acontecer e o que se vai passar a seguir. Começamos a ficar com medo pela personagem de Daniel, no meio da família branca com os empregados pretos. 

 

Não me considero uma pessoa muito perspicaz quando vejo um filme. Sou capaz de me afogar quando vejo atuações fantásticas - como é o caso - e acabo por deixar passar alguns pormenores que às vezes denunciam o que vai acontecer a seguir. Não sei se foi por esta minha tendência de ser pouco perspicaz ou se a história está realmente bem conseguida, mas a verdade é que na segunda metade do filme, surpreendia-me de cinco em cinco minutos. 

 

Por falar em atuações fantásticas, atentem bem nisto: 

 

Crítica | Corra! – Um dos filmes de terror mais ANGUSTIANTES da década

 

Esta foi uma das cenas em que fiquei mais impressionada com a prestação do Daniel Kaluuya - até me fez impressão! O choro dele era de tal maneira real e angustiante que dei por mim a olhar para o ecrã exatamente com a mesma expressão que ele. Já tinha gostado dele em Black Mirror, mas acho que foi aqui que ele teve a sua verdadeira oportunidade de brilhar. Belo papel, miúdo! 

À semelhança de Daniel Kaluuya, a grande parte das personagens são muito bem conseguidas sobretudo pelo seu ar perturbador que se vai tornando mais óbvio à medida que o filme vai aumentado o seu volume, até nos estar a gritar aos ouvidos. 

 

Fazendo lembrar thrillers como Fragmentado - que comentei aqui - A Rapariga no Comboio, ou Em Parte IncertaGet Out é um filme que faz também terror de excelência visto que, sem nunca cair no ridículo, deixa o espectador preso à cadeira do início ao fim. Tratando de uma temática tão delicada como é o racismo, quando o filme termina vemos que o realizador queria ser tudo menos ser politicamente correto. Peele cria Get Out para todas aquelas pessoas que dizem "não sou racista porque tenho imensos amigos pretos" e leva esse clichê até ao extremo. 

 

Aconselho vivamente que vejam o filme e adorava que partilhassem as vossas opiniões, sobretudo para saber se se sentiram tão abananados - é o melhor termo para aquilo que senti - com as plot twists que vão acontecendo ao longo do filme. 

Uma coisa que aconselho a terem atenção: este é um bom filme para ser visto a um domingo à tarde. Especialmente se o sol brilhar lá fora e os passarinhos estiverem a cantar alegremente. Eu vi à noite, e houve momentos em que dei por mim a olhar por cima do ombro. Ainda por cima foi no dia em que me caiu uma cobra aos pés... por isso estão a ver o stress. 

 

8/10

Bons filmes são (Sinónimo de) Carmezim.

Marta.

 

A Marta

Sinonimo de Carmezim

@mcarmeziim

Parcerias

Na mesa de cabeceira

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Blogs Portugal