Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

(Sinónimo de) Carmezim

(Sinónimo de) Carmezim

01
Fev18

Guardado na Estante #11 - Everything, Everything

1E25036D-2508-4521-9150-46D3084016AD.jpg

 

Veio tarde, mas aqui está o Guardado na Estante do primeiro livro que li em 2018. Este livro, pode dizer-se, já veio tarde. Já perdi a conta aos meses em que tenho vindo a falar deste livro. Aqui no blog, em variadíssimas ocasiões, devo ter falado sobre ele em modo "mal posso esperar para o comprar" e isso nunca mais acontecia. Estive com ele N vezes na mão - na Bertrand, na FNAC e em toda e qualquer livraria em que entrasse. No site da WOOK, foram inúmeros os cestos de compras em que ele esteve, mas acabava sempre por ir fora. 

 

04
Jan18

Guardado na Estante #10 - A Quinta dos Animais

Que saudades de escrever um post destes! Para os mais distraídos, isto não acontecia desde o dia 4 de outubro que, curiosamente, é há precisamente três meses. Porquê, perguntam vocês e muito bem e a resposta é muito simples: vivi, estes últimos três meses, numa ilusão. Num dos posts em que vos contei das minhas inseguranças relativamente ao mestrado disse que aquilo que me deixava mais insegura era ainda não ter lido livros da área. Livros científicos, propriamente ditos. Os últimos três meses foram passados a viver na convicção que seria capaz de ler um livro científico de uma ponta ou outra, sem pegar num livro de outro género nos entretantos. 

 

O que realmente aconteceu? Uma desilusão e teimosia como nunca vi que, em conjunto, resultaram nisto. Desilusão porque olhava para o livro em cima da secretária ou da mesa de cabeceira e fingia-me de cega. Teimosia, porque mesmo assim não o tirava de cima da secretária ou da mesa de cabeceira nem sequer ia buscar outro livro com uma história propriamente dita para lhe fazer companhia. Aquele livro não foi lido, nem deixou ler. Até que chegou a última semana do ano e eu pensei que não poderia passar o ano com aquela situação insustentável. 

04
Out17

Guardado na estante #9 - O Monte dos Vendavais

Estavam a ver que não, não era? Se eu achava que tinha demorado demasiado tempo a ler O Processo de Kafka, agora consegui bater o meu próprio record. Foi um mês e vinte e dois dias a ler aquela que é considerada uma das obras-primas da literatura inglesa, para ser precisa. Por causa deste livro tive que, muito contrariada, alterar a minha meta anual de livros lidos. Reduzi o meu objetivo final de 25 para 20 livros lidos em 2017 porque depois de ter passado quase dois meses agarrada a este, seria apenas impossível conseguir alcançar os 25.

 

Uma coisa é certa: a culpa não foi, decididamente, do livro. Foi minha e só minha e um pouco do meu estômago que anda mais sensível que o costume, impedindo-me de ser capaz de ler na maior parte dos contextos do meu dia a dia. Restavam-me cerca de 40 minutos diários para ler algumas páginas do livro durante as minhas viagens de metro - o único meio de transporte que não me faz enjoar neste momento. Foi chato e foi triste porque queria ter dedicado mais tempo de leitura a esta obra, não só em prol do meu objetivo anual, mas também porque o livro assim merece.

 

 

04
Ago17

Guardado na estante #8 | O Adeus Às Armas

Se há nome que é conhecido aqui pela minha zona é o nome Hemingway. É um dos nomes mais falados por aqui, sobretudo porque é o nome daquele que é, para mim, um dos melhores bares da Ericeira. O nome e a própria decoração do bar é totalmente inspirada no escritor, tendo penduradas nas paredes as inúmeras revistas de todo o mundo em que Ernest Hemingway foi figura central. Também nas paredes existem estantes cheias com livros dele.

 

Numa das noite em que lá fui beber aquele mojito dos deuses estava a olhar atentamente para a prateleira. Estava a fazer aquela pose ridícula que os amantes de livros fazem quando querem ler as lombas sem tirar os livros das estantes: ir andando, ir andando, sempre com a cabecinha inclinada e a tentar decifrar os nomes, muitas vezes virados ao contrário. Numa dessas vezes, nesse bar, houve um livro que me chamou especialmente a atenção: O Adeus Às Armas.

 

27
Mai17

Guardado na estante #7 | O Amante é Sempre o Último a Saber

20170511_200247550_iOS.jpg

Vá lá Marta, conseguiste trazer mais do que um Guardado na Estante no mesmo mês, até mereces um biscoito - que se sinta a forte ironia na frase anterior, por favor. Depois do processo que foi ler O Processo de Kafka, sabia que tinha de ler um livro levezinho. Já não tinha livros fofinhos que ainda não tivesse lido e não queria ter que ficar três dias a andar de transportes público sem companhia literária. Por isso, fiz uma pesquisa mais profunda nas prateleira cá de casa à procura de algo que me chamasse a atenção. E que soubesse que não seria demasiado sério. 

Os meus olhos, ainda que meio desconfiados, acabaram por cair em cima do único livro de Rui Zink que alguma vez comprei: O Amante é Sempre o Último a Saber. Comprei-o há uns anos porque o achava um grande maluco e porque acho a capa lindíssima. Na altura, tentei ler e não me lembro de ter sequer passados as primeiras dez páginas. Lembro-me que estava confusa, que não estava a perceber o que se passava e desisti. Interessante ver como o tempo realmente importa quando se fala em ler livros. Passados alguns anos, li-o num ápice e embora as partes confusas que continuam lá, nunca me senti perdida na história. 

 

 

13
Mai17

Guardado na estante #6 | O Processo

20170410_190530760_iOS.jpg

 Alguém que me mande dois gritos. Preguem-me uma chapada bem dada. Insultem-me até. Uma desgraça, foi o que isto foi! 

Terminei o mês de março toda contentinha comigo mesma porque tinha conseguido ler cinco livros, coisa que nunca me lembro de ter feito. Li livros fantásticos e finalmente tinha percebido que quando se quer mesmo arranjar um tempo para ler uma boa história, esse tempo faz-se. Em março, eu tinha-me sentido uma ilusionista que de alguma forma tinha parecido sacar mais umas horas da cartola. Foi com muito entusiasmo que comecei o mês de abril, pronta para me aventurar na segunda obra de Kafka: O Processo.

 

Nunca tinha lido nada do autor, até ter experimentado A Metamorfose, que adorei. Se leram a minha crítica sabem que esse foi um dos livros mais curiosos que já li. Com pouco mais de cem páginas, foi uma leitura daquelas que possivelmente vou aconselhar a qualquer pessoa que me pergunte o que achei. Por isso, achei que estava pronta para ler um livro como O Processo. Na minha crítica à obra A Metamorfose, alguém comentou que este (O Processo) iria ser um desafio. Bem amigos, e que desafio!

 

 

 

Sinonimo de Carmezim

Por detrás deste blog está a Marta. Com 22 anos, saloia de gema, criou este cantinho onde vão poder encontrar tudo o que é sinónimo da sua pessoa.

ÚLTIMO VÍDEO

instagram

Find me on facebook

Parcerias

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.