Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

(Sinónimo de) Carmezim

(Sinónimo de) Carmezim

11
Out17

Não abusemos!

Uma vez disseram-me "os homens não compreendem que às vezes as mulheres precisam duma discussão ou outra". Fiquei para lá de baralhada quando me disseram isto, sobretudo porque foi dito por uma mulher. Nunca percebi bem essa coisa de quando as coisas estão "demasiado bem" uma das partes começar a inventar problemas onde eles não existem. Faz-me lembrar coisas do meu tempo do Hi5, em que se tudo estivesse bem discutia-se sobre o top dos melhores amigos no perfil. 

 

Para mim isso nunca fez sentido. Sou uma pessoa de muito mimo, de muito amor, que não gosta de terminar o dia sem um abraço bem dado. Aliás, para quem não tenha muita paciência, posso até passar por carente. Também já achei que o era, e achava que isso era uma horrível e que nunca ninguém iria ter paciência para aturar o facto de eu ter um minimo de mimo diário a ser cumprido - coisas de pita parva e (ainda mais) dramática. Hoje não acho que seja carente, sobretudo porque essa palavra tem sempre uma carga negativa agarrada. Acho que esse meu lado tão emocional é, na maior parte das vezes, uma das minhas maiores qualidades. 

 

 

 

25
Abr17

Despedir a gerência

Antes de mais, gostaria de começar este post por vos apresentar as minhas mais sinceras desculpas. Primeiro, por não fazer um post a falar do 25 de abril - mas a esta hora e depois de seis quilómetros num shopping, o meu cérebro não consegue produzir um texto tão sério quanto esse seria. Em segundo, pelas pequenas - mas tão incómodas - desgraças que se têm passado neste blog, praticamente desde o primeiro dia. 

 

Esta ideia partiu a paredes meias com o meu Rapaz. Todos os dias me incentivava "É hoje, amor! Cria o blog, escreve!", mas nesse dia nada acontecia. Uma semana, um mês depois, lá me dizia "Força amor, vais ver que vai correr, que vão gostar de ler as palavras que tens para escrever!". Até que houve um dia, mesmo antes da viagem dele para os Açores, pedi-lhe ajuda para criar o blog - aproveitando o facto de querer começar a ter uma ocupação enquanto ele estivesse fora. 

 

 

18
Mar17

Baby Carmezim, uma miúda engraçada #2

Já passou mais de um mês desde que fiz o primeiro - e último post - deste género. Não sei bem porquê, até porque foi dos posts que mais gozo me deu fazer e sobre o qual recebi várias mensagens muito bonitas de pessoas que gostaram de o ler. 

 

Antes sentia uma dificuldade enorme em arranjar um tema para escrever. Com este blog, o meu problema é ter temas a mais. Vejo várias coisas no meu dia a dia sobre as quais penso "isto daria um post mesmo engraçado", mas - feliz ou infelizmente, depende do ponto de vista - falta-me o tempo para conseguir escrever aqui todos os dias como gostava. Estou até a ponderar pôr mais do que um texto por dia, porque realmente, sinto que tenho que aproveitar ao máximo as oportunidades em que posso cá vir e falar um pouco convosco. 

 

Bem, e entretanto já me perdi. Hoje trago-vos mais uns pedacinhos da Baby Carmezim, porque os registos de histórias fantásticas desta pequena estrela continuam aqui, à espera de serem publicados. 

 

 

14
Mar17

A mala perfeita e outras decisões

Faltam cerca de dois meses para a festa do ano: o casamento do meu irmão. 

O último casamento a que fui foi o da minha queridíssima tia e eu tive a honra de ser a menina das alianças - por isso imaginem aos anos que já não vai. 

 

Lembro-me que foi um dos meus dias preferidos de sempre. Fartei-me de dançar no altar porque estava mesmo ao lado das guitarras e do orgão então a minha pobre mãe passou a cerimónia a dar-me toques nas costas para eu parar de me abanar sempre que começava alguma música. 

Lembro-me de achar a minha tia a princesa mais linda do mundo. A minha tia é uma pessoa muito prática e despachada por isso, para uma menina de 9 anos, ver a tia com um vestido bem grande, um véu ainda maior e - momento alto do meu dia - chegar numa charrete.... bem, estava encantada. 

 

 

 

11
Mar17

Marta vai ao estágio #2

A minha primeira semana no estágio chegou ao fim e o balanço é positivo. Não sei se estou a ser demasiado dura ou exigente comigo mesma, mas a verdade é que isto de ser só "positivo" faz-me um bocado de espécie. Afinal, ninguém quer comer um bacalhau positivo, ninguém quer ler um livro positivo, ninguém quer assistir a um concerto positivo. Ninguém quer viver uma vida que fique ali, quieta, no positivo. Pelo menos, acho que ninguém se deveria contentar com isso. Como tal, sei que não tive uma primeira semana tão boa quanto gostava e o pior de tudo é que a culpa disso foi só minha. 

 

 

 

03
Mar17

Marta vai ao estágio #1

Há várias coisas na vida que se me perguntassem há dois ou três anos atrás, eu vos diría que jamais seria capaz de as fazer. Se me contassem que faria certas coisas eu ia rir-me na vossa cara. Não porque não achasse que ia ser boa ou que me ia sair bem, mas sim porque achava que não ia ser a melhor, ser perfeita. Pode parecer que estou a cair no clichê do "sou tão perfecionista, olhem para mim", mas a verdade é que sou mesmo e que em tempos via isso como sendo apenas uma qualidade. Hoje, consigo ver como isso não me deixou arriscar tantas vezes, em tanta coisa. Tenho amigas que dizem que isso faz parte do meu signo. Seja ou não, a verdade é que sou assim desde que me lembro de ser pessoa. 

 

Durante muito tempo fui aquela pessoa que nem sequer experimentava se não soubesse que ia fazer bem. Um dos primeiros exemplos que tenho que estava totalmente errada em pensar assim foram as primeiras vezes que subi a um palco. Eu ensaiava em casa, é verdade - mas tinha sempre uma vozinha que me dizia que quando chegasse o momento, não ia ser capaz de subir ao palco. Quando o momento chegava, surgia outra vozinha que gritava mais alto e que me dizia "caraças, se ensaiaste, agora tens de ir e acabou a conversa." E eu ia. No final, posso dizer que a única pessoa mais vaidosa que o meu pai ou as minhas avós, era eu. Aprendi aí que sou tão teimosa que adoro contrariar-me a mim mesma. 

 

Outro exemplo destes foi arrancar os sisos. Riram-se, não foi? É verdade. Quem me conhece sabe que a minha tolerância à dor é praticamente nula. Sequer imaginar aquelas histórias de terror que se contam de como é arrancar um siso fazia-me fugir do dentista a partir do dia em que comecei a sentir um altinho lá atrás. 

Até que chegou um dia em que o altinho ficou uma autêntica montanha na minha boca. Tive que ser eu a pedir para ir, a implorar. Cheguei lá e quis fugir, mas depois pensei "caraças, tu é que pediste para cá vir. Agora arrancas isso e acabou a conversa". E eu arranquei. 

 

Os anos foram passando e situações como estas foram-se tornando cada vez mais normais. Até ir almoçar pela primeira vez à casa da linda, da amorosa avó do meu Rapaz. Só eu sei como queria que ela visse que eu sou a neta perfeita e só eu sei como estava nervosa. "Já cá estás, agora vais mostrar como és a mulher da vida deste miúdo e acabou a conversa". E continuo a mostrar.

 

Hoje houve outro desses momentos, mas desta vez daqueles mesmo grandes em que sinto que cresci cinco metros. Hoje tive o meu primeiro dia de trabalho. Achei que, caso fosse para a frente com a candidatura, iria estar lá meia perdida e que não ia ser capaz de ser rápida, desenrascada e que viria a chorar para casa. Hoje, parecia que transpirava de tanta correria. Tinha as mãos cheias de pó e ainda sinto comichão no nariz do cheiro a tralha em que mexi hoje. Percebi os códigos da base de dados. Vi erros e corrigi-os. Não tive vergonha de perguntar coisas. Tinha uma secretária e um computador para mim. Ouvi um "estás a perceber bem disto!". O dia ia passando e menos vontade tinha de ir embora - fez lembrar o primeiro dia no infantário. 

 

Isto pode parecer tosco, mas para mim é enorme. Alguma vez a Marta de há uns anos atrás imaginava um dia assim? Nem sequer a Marta de ontem! Isto é a primeira parte do maior sonho da minha vida. É o passinho que eu precisava para acreditar que sou capaz de ser boa na área que escolhi, sem nunca a ter experimentado. É o passinho que precisava para acreditar que estou mais perto da minha casinha e do meu cão, para dormir conosco. 

 

Hoje também ouvi um "Tens que acreditar no teu potêncial, Marta." E é verdade. Hoje vou dormir a acreditar um pouco mais em mim. 

 

Gostar do que se faz é (Sinónimo de) Carmezim.

Marta.

A Marta

Sinonimo de Carmezim

@mcarmeziim

Parcerias

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Blogs Portugal