Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

(Sinónimo de) Carmezim

(Sinónimo de) Carmezim

24
Nov17

um dia de poucas palavras

Uma das críticas que recebo mais vezes relativamente ao blog é que faço posts demasiado longos. A minha resposta a essa crítica? Normalmente peço desculpa e digo que, mesmo que quisesse, não conseguiria fazer as coisas da mesma maneira. A prova disso é que recebo esta crítica não só no blog como também fora dele - sobretudo na escola. Se me pedem para trabalhar ou refletir sobre algo e dar a minha opinião, em 90% das vezes vou usar todo o tempo que me for dado para me explicar o melhor possível. Neste caso não é o tempo, é mais o espaço. Partindo do princípio que este espaço é mexido por mim... não há muito a fazer. 

 

Às vezes dou por mim até a apagar meia dúzia de frases acabadas de escrever porque penso que se calhar estou a ser demasiado detalhada e o que acabei de dizer não vos vai interessar grande coisa. Depois abano a cabço, carrego no "ctrl" e depois Z para fazer aparecer tudo o que acabei de apagar. Parece que não vou ser tão eu se não me alongar tanto. Acreditei, é igual à realidade: se estiver à vontade com vocês, não me vou calar nunca. 

 

 

17
Mai17

Tipo cartãozinho de felicitações

O impensável aconteceu: pela primeira vez desde que tenho este blog que não tenho um tema específico que vos queira falar hoje. Pensei em falar-vos da minha aventura de hoje com as minhas sandálias novas, mas talvez fique para amanhã - embora ache que vá dar um post engraçado, daqueles mesmo de white girl problems. Também são precisos uns desses de vez em quando, não é? 

 

Em vez de falar hoje sobre o meu dia com as minhas sandálias novas acho que devia aproveitar esta "falta de tema" para fazer um post que já vem com algumas semanas de atraso - até parece que foi de propósito. "Vá Marta, tens que dizer essas palavras mais dia menos dia!" e por isso cá estou! Hoje, venho agradecer. Devem achar que ando numa fase muito grata da minha vida - e por acaso estão certos - mas hoje não agradeço ao Salvador. Agradeço-vos a todos vocês. 

 

 

06
Mai17

Tu tens é muita mania!

Desde que me ensinaram a escrever que adoro fazê-lo. Já vos falei aqui em alguns posts de como, durante muito tempo - e se calhar em certas situações continuo igual -, eu ou era a melhor ou nem sequer tentava. Fazia-me impressão, essa coisa de experimentar algo sem saber se vamos falhar. Não percebia como é que tanta gente fazia isso. E se gozassem comigo? E se eu caísse? E se me ralhassem? Agora imaginem estas perguntas a gritar aos ouvidos de uma criança de seis anos. Esta é daquelas coisas que não posso apontar o dedo a ninguém. Não posso escolher um momento na vida e dizer "foi aqui que tudo começou" ou "foi por causa de pessoa X que comecei a pensar nestas coisas". Fui eu, sozinha, que tão pequenina fomentei em mim o medo de falhar. 

 

Mas isto tudo a propósito de aprender a escrever. Estava talvez no segundo ano e lembro-me que a maior alegria da minha vida era ser das melhores a ler e a escrever. Lembro-me que gostava de ajudar os colegas que tinham mais dificuldades porque não queria que os meninos maus tivessem desculpa para gozar. Era isto que me fazia querer ir para a escola - mais especificamente, para as aulas - todos os dias. Houve um dia em que a professora nos deu uma pequena banda desenhada da Formiga e da Cigarra e pediu-nos para escrever uma história ao olhar para os desenhos. Se tivesse o mínimo de jeito, ainda hoje conseguiria reproduzir aqueles bonecos - nunca mais me sairam da cabeça. Escrevi e lembro-me de que quando pus o último ponto final, senti algo incrível. Estava mesmo orgulhosa do que tinha feito. Resultado: fui para o placard da sala e esse foi para mim, naquela altura, o melhor dia de sempre. 

 

 

 

17
Fev17

Feliz dia de São Sapo!!

Hoje o meu blog faz 16 dias de vida. O objetivo primordial deste blog, no momento em que o criei, foi sem dúvida a reintrodução da escrita na minha vida. À medida que vou crescendo, vou-me apercebendo que existem duas coisas na vida que são extremamente eficazes para mim: listas e rotinas. Descobri que adoro fazer "certinhos" nas listas e assinalar o que já fiz. Agora percebo também que certas coisas que antes detestava fazer, foram agora promovidas à categoria do "não me importo" porque as fiz parte de uma rotina. 

 

Queria fazer exatamente isto com a escrita. Numa primeira semana queria "obrigar-me" a escrever - pelo menos de segunda à sexta - para que na segunda semana já ficasse com saudades disto, se falhasse um dia. Pus isto numa lista - obviamente - e este item já tem um certinho à frente. 

 

Neste momento, o Rapaz diz "Amor, agora já podes publicitá-lo!". Até aqui sempre lhe dissera que queria esperar para mostrar  o meu cantinho em facebooks e instagrams desta vida, esperando que a escrita se tornasse rotineira - agora já não tenho razão para esperar, mas admito que até gosto disto assim. Combinámos esperar que passasse o Carnaval. O que vos tento dizer é que, excluindo a minha família mais próxima, ninguém que me conheça sabe que eu tenho este blog. 

Por essa razão, nunca esperei qualquer subscritor ou comentário, ou qualquer outro tipo de miminho. Quando eu comecei, há muitos anos, a tentar um blog por aqui, ainda não havia essas funcionalidades e por isso, no dia 2 de fevereiro quando o Rapaz me ajudou a abrir isto, nem pensei na hipótese de mais alguém ler as minhas palavras. 

 

O que quero dizer com isto é que me sinto muito grata por cada mimo vosso que recebo, de todos os 15 de vocês. Conhecendo-me pessoalmente ou não. Há uma semana reparei que no Sapo se faz a Follow Friday. Não aderi porque não achei que tivesse algo de benéfico para os blogs que pudesse escolher, precisamente por ser ainda tão pequenina. 

Hoje adiro. Adiro não por achar que os escolhidos vão ter um aumento enorme nas leituras nem que os seus blogs irão crashar de tantas visitas, mas adiro em forma de reconhecimento e agradecimento.

 

Resultado de imagem para heart tumblr transparent

 

Chic'Ana

&

O Jardim Secreto

 

Resultado de imagem para heart tumblr transparent

 

As duas já têm algum tempo disto, percebem mais disto que eu, sabem como ser sinceras e engraçadas sem esforço nas palavras - outro objetivo meu - mas acima de tudo (e não desfazendo ninguém) sinto que foram as primeiríssimas a darem-me as boas-vindas aqui. Sem me conhecerem, senti que apostaram em mim. A Chic'Ana foi o meu primeiro comentário de SEMPRE aqui - deviam ter visto a minha cara de parva a olhar para o ecrã do computador. A Luella tornou-se aquela visita que gosto sempre de receber porque tráz com ela uma palavra, uma opinião, um contributo e hoje fez-me o meu primeiro Follow Friday!!!

 

Se calhar todos os que por aqui passam já as conhecem. Se sim, vão lá e digam olá. Se não conhecem, façam o mesmo. 

 

Follow Friday é (Sinónimo de) Carmezim.

Marta.

 

 

08
Fev17

Tipo desenhos animados

Nesta primeira semaninha de blog, posso dizer que esta está a ser a minha melhor experiência até agora. Se calhar das outras vezes não estava preparada isto, no sentido contrário em que normalmente se está preparado para alguma coisa. Normalmente, preparamo-nos bem para alguma coisa quando se trata de algo sério, que queremos ver bem sucedido - muitas vezes correndo o risco de fugirmos ao que queriamos fazer inicialmente para se estar mais atento à questão do "que posso eu criar que os outros vão gostar mais?". Neste caso, com este meu novo bebé, tive que me preparar para o contrário: para ser descontraída, para escrever mesmo que fosse sobre a coisa mais trivial do mundo - e tem estado a ser tão libertador, tipo exorcismo, que mesmo que tentasse não ia saber bem como explicar. É maravilhoso ver a escritar entrar de novo na minha rotina, como se o corpo já precisasse disto e pela primeira vez, divirto-me aqui. 

 

Uma coisa que descobri sobre esta minha nova maneira de ver - e fazer - a escrita: gosto muito mais de escrever de manhã, e já são quase dez da noite. Em certos momentos do dia cheguei mesmo a sentir-me meia incomodada a pensar nisso. Apetecia-me mesmo escrever, mas sabia que ia ter que esperar pela noite. Porque, meu Deus, o meu dia foi incrível e por alguns momentos gostava de já ter também aderido ao YouTube, sacar da minha câmara fantástica (e imaginária) e fazer um vlog só para vos mostrar a correria e alegria que foi o meu dia. 

 

Passei a tarde às compras em tudo o que é loja de chinês em Torres Vedras. Sim, esse dia fantástico que vos falo foi mesmo passado assim, estou a falar a sério. 

Como já tinha partilhado, o carnaval está mesmo aí à porta e hoje foi dia de fazer algumas compras, antes de todos os bons acessórios voarem das prateleiras. Decidimos ir da loja mais pequena para a maior, e à medida que fomos passando para as últimas da lista, posso dizer que estava a ficar cada vez mais baralhada. No meio de tantos óculos com mamas, de fatos de aladino com a lâmpada no meio das pernas, pistolas de água em formas muito sugestivas... já não sabia bem o que já tinha no saco e o que ainda me faltava procurar. 

 

Por esse razão, tive que respirar fundo a meio da música de fundo - que cantava "zumzumzum zumzum bábá!" - e concentrar-me. Fiz uma lista, com "certos" no que já tinha, acrescentando à medida que ia encontrando algo que me interessava. Saímos da última loja, demasiados euros depois. 

Quando cheguei a casa e pus tudo em cima da mesa, olhei para a minha lista e não pude deixar de ter vontade de rir: 

 

  • Bengala com caveira;
  • Tintas de cabelo verde, vermelha e azul;
  • Meias de liga brancas;
  • Collants de rede;
  • Collants rosa choque;
  • Tutu arco-íris;
  • Body prateado;
  • Orelhas de coelho e lancinho preto;
  • Carapaça;
  • Vestido verde tropa;
  • Óculos com lentes amarelas;
  • Camisola tropical;
  • Pulseira com picos;
  • Corno de unicónio;

 

Gostava de saber se existe alguém por aí com uma lista de compras mais divertida que a minha. Ao ver o total, a minha mãe suspira e diz "Bem, antes para isto do que para a farmácia!" - e é mesmo assim. Hoje recebi uma notícia muito triste, de uma professora de secundário, daquelas mesmo inesquecíveis, que perdeu hoje a batalha contra o cancro, aos 50 anos. Quando ouvi a minha mãe dizer esta frase, só pensei no quanto ela estava certa e no quanto os filhos, os amigos, a família da professora Margarida gostariam certamente de estar no meu lugar, a fazer compras para o carnaval, compras para brincar e se divertir. De repente, senti-me saída de um desenho animado - com a lista de compras mais estapafúrdia do mundo - e acima de tudo, senti-me muito grata. Se fazer estas compras não deixa alguém bem disposto, não sei o que pode deixar. 

 

Listas giras são (Sinónimo de) Carmezim.

Marta. 

 

02
Fev17

Entre o "olá outra vez" e o "é desta!"

Sabem aquelas pessoas que tentam combater um vício durante anos, tudo parece estar a correr às mil maravilhas, até que se dá uma recaída? Eu fui uma dessas pessoas, e durante anos - note-se, tenho só 21 - o meu vício era ser pesarosa, melancólica e, no fundo, triste. Achava tanta graça a isso, achava as pessoas que assim o eram tão fascinantes e hoje... bem, hoje riu-me dessa miúda, num misto de pena e gratidão por ela já ter percebido que, convenhamos, assim não dá.  

 

Para combater esse meu vício recorria aos blogs. Já nem sei o número deste, se os formos contar como "tentativa 1", "tentativa 2" e por aí fora. Sempre fora esse o meu método: estás triste? Então escreve. Podia aqui romantizar a coisa, dizer que era uma espécie de escape, mas não. Na maior parte das vezes, eu estava assim, eu escrevia assim, porque queria. Gostava de me sentar sozinha em cafés a ler o Livro do Desassossego, gostava de tudo o que conseguisse ser mais sombrio do que aquilo que eu sabia ser. Eu, então essa pobre miúda, achava que só iria conseguir criar algo de que me orgulhasse - e mais, de que os outros gostassem - se fosse triste ou melancólico (deprimente, até) porque essas eram as únicas emoções que valiam realmente a pena ser sentidas. 

 

Pobre miúda. Prova de que todo este método está errado? O momento da recaída - desisti de todos. Apagava e voltava a criar. Nomes diferentes, uns em nome próprio, outros com alter-egos (pseudónimos, claro, para me sentir mais próxima de me tornar tão torturada quanto o Pessoa). Tudo caiu no pior dos esquecimentos: no meu próprio. 

 

No ano em que me licencio na Faculdade de Letras de Lisboa, em que vou estagiar, começar o mestrado, começar a trabalhar, em que me vou mudar e arranjar um cachorrinho para me aquecer os pés quando o meu namorado não puder... acho que não haveria mesmo melhor momento para recomeçar a fazer algo de que tanto gosto, gostando hoje tanto de mim e dos que me rodeiam. 

 

Hoje, regresso aqui com a vontade de gritar "é desta!". Ao fim de talvez 3 anos após a minha última tentativa, vou experimentar um novo método: e se eu experimentar escrever, estando feliz? Estando a saltar para fora de mim própria de feliz? Aquele feliz que pode correr o risco de meter nojo, porque as coisas até estão a correr como se quer? É que se há uns anos havia uma miúda que apelidavam de gótica e que metia nojo de zangada com o mundo - vá-se lá saber porquê - hoje olho para mim como uma mulher feliz, que não mete menos nojo por isso. Suponho que essa seja realmente a minha cena: meter nojo. E neste cantinho, mesmo que seja só o meu namorado e a minha mãe a ler, espero meter nojo durante muito tempo.

 

E sim: o nome é mesmo com Z.

Vamos ser felizes aqui, sim? É desta!

Eu sou (Sinónimo de) Carmezim

Marta

Sinonimo de Carmezim

Sou a Marta e gosto de escrever umas coisas de vez em quando.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.