Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

(Sinónimo de) Carmezim

(Sinónimo de) Carmezim

25
Out17

Duas estreias no DocLisboa 2017

A semana passada, quando tratava da planificação dos posts para esta semana, o meu Rapaz disse: "Uau! Para a semana o blog vai ainda ter mais a ver contigo, vai ser só cultura!" Não sei se tem ou não mais a ver comigo, mas tudo o resto é verdade. O blog não é "mais cultural" por falta de oportunidade. Nem sempre posso ir ver aquela peça de teatro, ir visitar aquela exposição ou ir àquele concerto. Apesar de ser uma vontade minha, às vezes não é possível. Para isso tento compensar com os meus posts de Sem Spoilers ou o Guardado na Estante

 

No entanto, estes últimos dias têm sido muito ricos em cultura e novas experiências. Fora a visita ao São Carlos, da qual vos falei ontem, tive mais uma estreia: fui, pela primeira vez, a uma sessão do DocLisboa. Para quem não sabe, o DocLisboa é um festival de cinema que acontece há 13 anos na nossa capital. Segundo o seu site, o grande objetivo deste festival é "questionar o presente do cinema, em diálogo com o seu passado e assumindo o cinema como modo de liberdade". Já há vários anos que ouvia falar da importância que este festival foi ganhando, tornando-se um evento de referência atualmente, no entanto, nunca tinha tomado a iniciativa de ir. 

 

Este ano essa oportunidade surgiu porque, imagine-se, um grande amigo de infância estreou a sua curta-metragem no passado dia 23, em pleno São Jorge. Apesar de não ser uma conhecedora da "cena" do cinema independente no nosso país - e até correndo o risco de estar a usar léxico totalmente errado - o DocLisboa sempre foi um festival que me suscitou alguma curiosidade, sobretudo pela proximidade que este evento oferece entre público e realizadores. 

 

 movie movies michael jackson comments popcorn GIF

 

Como digo, não conheço o funcionamento do festival nem das suas edições anteriores, por isso não sei se a sessão a que fui foi uma novidade. A sessão a que assisti, na sala Manoel de Oliveira, no São Jorge tinha como título "Verdes Anos" . A secção "Verdes Anos" - desde já deixo os meus parabéns a quem se lembrou deste nome! - é uma competição com o objetivo de dar a conhecer o trabalho de jovens realizadores a um público mais alargado. 

 

No passado dia 23 de outubro assisti às curtas-metragens "John 746" de Ana Vîjdea, "Púrpura" de Pedro Antunes, "Nightcrawlers" de Oktay Namazov e "Jacarépaguá" de Maria Ganem. As curtas-metragens foram projetadas todas seguidas e no final todos os realizadores - à excepção de Ana Vîjdea - dirigiram-se para o palco onde explicaram um pouco mais do trabalho por detrás do resultado final que tinhamos acabado de ver. 

 

Esse foi, na minha opinião, o ponto mais forte da sessão e do festival enquanto iniciativa cultural. Para alguém como eu - bastante leiga no que toca à linguagem usada neste género de cinema ou até à escolha de imagens - é ótimo poder ter aquele espaço para poder compreender melhor o que se acabou de ver, ouvindo os próprios realizadores. Fora a emoção que foi ver um grande amigo estrear uma curta-metragem num festival de cinema de referência, saí de lá - por incrível que pareça - com uma grande sensação de esperança. 

 

Porquê? Porque percebi que tudo o que existe no mundo, mais tarde ou mais cedo, é valorizado por alguém. Mesmo que seja apenas por uma pessoa, mesmo que esse "valorizar" seja mera curiosidade... há tudo para toda a gente e isso é uma coisa muito bonita de se pensar. 

 

Nesta sessão dos "Verdes Anos" vi curtas-metragens sobre uma noite com homens do lixo, sobre procura de identidade - que vai muito para além do género ou da sexualidade - sobre solidão e sobre a recuperação de vídeos caseiros num tempo em que esses vídeos estão escarrapachados na internet. Tudo isto são temas dos quais eu não me lembraria de trabalhar, mas é precisamente aí que está a beleza de tudo isto. Nas artes, na ciência, na política, independentemente da área em que estejamos inseridos é bom ver que, mesmo quando nós acharmos que passamos despercebidos, pode sempre haver alguém que nos vai olhar com outros olhos. 

 

Não posso falar em termos de filmagem, produção, pós-produção e outros termos que tais, porque se o tentasse fazer iria estar só a fingir que percebo desses pormenores. Não é o caso. A única coisa que vos posso dizer é isto mesmo: o relato da minha experiência que, retirando toda a carga pessoal que esse dia teve, continuou a ser especial e muito elucidativo. Para além da estreia do Pedro no palco, foi também a minha estreia na plateia. 

 

O DocLisboa acontece até dia 29 de outubro e é mais uma das sugestões que o (Sinónimo de) Carmezim vos oferece de bom grado. 

 

Cultura é (Sinónimo de) Carmezim.

Marta.

 

2 comentários

Comentar post

Sinonimo de Carmezim

Por detrás deste blog está a Marta. Com 23 anos, saloia de gema, criou este cantinho onde vão poder encontrar tudo o que é sinónimo da sua pessoa.

ÚLTIMO VÍDEO

instagram

Find me on facebook

Parcerias

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.