Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

(Sinónimo de) Carmezim

(Sinónimo de) Carmezim

12
Jan18

Sem Spoilers #19 - A Forma da Água

O primeiro Sem Spoilers de 2018! Uau, até me sinto de energias renovadas - e acreditem, é preciso alguma energia para refletir sobre este filme. Confesso também que já tenho alguns posts Sem Spoilers acumulados, mas estava com algumas reservas sobre quando os fazer. Porquê? Porque os filmes que vos quero falar ainda não estrearam em Portugal e estava à espera que isso acontecesse. Era uma maneira de legitimar o facto de já os ter visto, entendem? Vamos todos imaginar um mundo em que pude apanhar vários aviões nas últimas duas semanas e os fui ver ao estrangeiro, boa? 

 

Os últimos dias têm sido passados a ver os filmes que estiveram nomeados para os Golden Globes porque estes acabam sempre por ser cromos repetidos para os Óscars. Este ano estou decidida a não deixar acontecer a miséria que aconteceu o ano passado - na altura dos Óscars, só tinha visto uns três ou quatro. Sendo que a cerimónia dos Óscars vai acontecer no início de março acho que estou bastante a tempo de me atualizar.

 

Ontem foi dia de ver um dos filmes mais nomeados para os Golden Globes - igualando o record de La La Land o ano passado -, The Shape Of Water, ou em português, A Forma da Água. Foi também, na noite dos Golden Globes, um dos maiores derrotados - das 7 nomeações, venceu apenas dois (de Melhor Realizador, para Guilhermo Del Toro; e melhor banda sonora, para Alexandre Desplat). O resultado menos bom desta cerimónia ainda me fez ficar mais curiosa relativamente a este filme. 

Resultado de imagem para the shape of water

 

Devo dizer que a fotografia e a banda sonora foram, realmente, as primeiras coisas que achei muito bem conseguidas neste filme. Nos primeiros minutos do filme não temos contacto propriamente dito com nenhuma personagem - ouvimos apenas uma voz-off - e durante esses momentos ficamos nós também submersos por sons de musicais dos anos 50 e por imagens lindíssimas debaixo de água, cheias de luz e sombras, a fazer lembrar um passeio no Oceanário de Lisboa. Num certo momento do filme, ainda falando da banda sonora, conseguimos ouvir Carmen Miranda cantar "meu coração faz txicatxicabumtxi" e eu delirei. Senti um estranho orgulho. 

 

Agora a história propriamente dita. A trama de A Forma da Água passa-se nos anos 60, no meio dos conflitos políticos e sociais entre Estados Unidos e Rússia, em plena Guerra Fria. No meio destes conflitos, numa luta constante para ver quem tem as melhores e mais poderosas armas, os maiores avanços nas várias áreas, surge uma espécie de anfíbio num laboratório americano. Enquanto este ser estranho lá está acorrentado, atormentado dentro de um tanque, surge Elisa. Elise é muda e, embora com amigos, sempre se sentiu sozinha. Trabalha nas limpezas do laboratório e rapidamente sentiu empatia por aquele ser que, tal como ela, estava só. 

 

Depois desta introdução à história do filme propriamente dito e entre outros pormenores que eu não vou contar, começamos a aperceber-nos que a relação daquele ser com Elisa começa a ser um bocadinho mais do que apenas fascínio. O que se torna especialmente interessante relativamente a este ser é o facto deste ser capaz de entender emoções humanas e de comunicar através de gestos. Este seria um dos aspetos que mais iria aproximar Elisa deste seu novo amigo: ambos não conseguem fazem sons, mas nenhum dos dois sente que falta algo no outro. O que se segue depois é previsível: Elisa tenta arranjar um plano para o soltar das correntes dos oficiais americanos que só o queriam matar. 

 

Resultado de imagem para the shape of water

 

A trama está muito bem pensada. Embora seja de certa forma previsível e não haja nenhum momento em que fiquemos no chão com alguma revelação inesperada, é uma história interessante e muito inteligente. Estou também grata por só ter visto este filme depois de ouvir o discurso de Guilhermo Del Toro quando ganhou o Golden Globe para Melhor Realizador, em que falou sobre o porquê de escrever histórias com monstros. Isso fez-me apreciar muito mais este simpático anfíbio. 

 

Mesmo assim, não tenho grandes problemas com este ser - porque até tenho tido a tendência para gostar mais de fantasia e ficção científica - e mesmo tendo gostado muito dos traços da história... não sei bem como me sentir em relação a este filme, num todo. Eu sei, isto foi mesmo anticlimático, não foi? Venho para o blog escrever e escrever sobre este filme e no fim parece que não consigo dar uma opinião concreta sobre ele. 

Posso dizer-vos uma coisa: de todos os nomeados dos Golden Globes que vi até agora - já vi Três Cartazes à Beira da Estrada; I, Tonya, Um Desastre de Artista Get Out -, A Forma da Água foi o que achei menos apaixonante, especialmente em termos de desempenho dos artistas. Reconheço o valor da prestação de Sally Hawkins enquando Elisa Esposito, que faz um papel muito marcante sem dizer uma palavra. Fez-me lembrar o DiCaprio em O Renascido, que eu tanto aclamei. Mas achei a junção de tudo um bocadinho rebuscada demais. 

 

Houve cenas que me deixaram até desconfortável, outras que achei simplesmente despropositadas e outras ainda que me fizeram questionar se, por momentos, não estava a ver o La La Land - sim, eu sei que é estranho. Consigo entender que é um bom filme, com uma grande produção e com um conjunto de grandes atores a dar vida a estas personagens. No entanto, tendo em conta o buzz em volta deste filme e visto que ontem, no Critic's Choice Awards, ganhou 4 prémios... estava à espera de uma coisa diferente, em vários aspetos. 

 

Vejam e digam-me o que acharam de A Forma da Água. Adorava discutir este filme com mais alguém!

 

Preparação para os Óscars é (Sinónimo de) Carmezim.

Marta. 

Sinonimo de Carmezim

Por detrás deste blog está a Marta. Com 23 anos, saloia de gema, criou este cantinho onde vão poder encontrar tudo o que é sinónimo da sua pessoa.

ÚLTIMO VÍDEO

instagram

Find me on facebook

Parcerias

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.